Aconteceu hoje mais uma edição da Operação Carne Legal

Polícia Civil, Vigilância Sanitária e Brigada Militar realizam hoje mais uma edição da Operação Carne Legal.

A operação visa duas frentes segurança alimentar da população e a repressão e prevenção aos furtos abigeato.

A Equipe de Políciais da Seção de Investigações da DP, uma guarnição da BM e os Fiscais da Vigilância Sanitária Municipal estiveram em nove locais, sendo oito mercados e supermercados, e em uma cozinha industrial que fornece alimentação a pomares.

O objetivo era encontrar carne de abates clandestinos ou má acondicionadas.

Vender alimentos impróprios ao consumo é crime previsto na Lei 8.137/90, e a pena vai de 2 a 5 anos, portanto maior que o próprio furto simples (1 a 4).

Nada de irregular foi encontrado nos nove locais vistoriados.

As operações vão se repetir, em mercados, açougues, restaurantes, cozinhas industriais e em pontos de venda de carne assada aos domingos.

O Médico Veterinário Jonas Coruja Cardoso, Fiscal Estadual Agropecuário que atua na DIPOA/DDA/SEAPA, em São José do Ouro, e que presta apoio à Operação Carne Legal em Vacaria, alerta.

Existem diversos riscos de contrair as doenças decorrentes do consumo de animais abatidos clandestinamente, que podem ser divididos em:

Doenças transmitidas por alimentos, que são ocasionadas por bactérias, vírus e fungos e causam infecções, toxiinfecções e intoxicações alimentares, muitas vezes ocasionando os surtos, gerando sintomas como febres, diarreias, vômitos, cegueira, aborto e etc, dependendo do micro-organismo envolvido. Os mais conhecidos são as salmonelose, colibacilose, toxoplasmose, listerioses, etc….

As zoonoses que são as doenças transmitidas dos animais aos seres humanos, que são principalmente a tuberculose, teníase, neurocisticercose, hidatidose, brucelose, etc. que podem causar diversos tipos de sintomas nos seres humanos conforme doença adquirida. exemplo tuberculose que causa tosse e pneumonia crônica, podendo levar a morte se não for tratada e é transmíssível a outros seres humanos através do ar.

Outro exemplo é a a neurocisticercose que ocorre a formação de um cisto no cérebro, uma espécie de tumor, em que dependendo do tamanho só é possível a remoção cirúrgica (maioria dos casos) e deixa sequelas conforme local do cérebro afetado, podendo levar a cegueira, incoordenação motora, etc.

Segundo a polícia, são apenas alguns exemplos, pois é uma tema bem amplo!

O percentual de descarte (animais “condenados” nas Inspeções dos Frigoríficos e Abatedouros) varia de região para região dentro do estado, conforme epidemiologia de cada doença e categoria de animais abatidos (animais jovens, animais mais velhos, fêmeas de descarte de leitaria, etc..)

Além disso, há os riscos de contribuir com o abigeato, o consumo de animais já doentes ou morinbundos, o consumo de leite cru de animais doentes, a contribuição com a ausência de bem-estar animal nos abates clandestinos.

Enfatizo que há muita subnotificação em nosso país de tais doenças devido ao difícil diagnóstico de muitas delas e necessidade de uma rede laboratorial grande para detecção.

Sendo assim a melhor forma de trabalho e através da prevenção da ocorrência de tais doenças.

JONAS CORUJA CARDOSO

Fiscal Estadual Agropecuário

CRMV-RS 12.587 / IF 3889696

São José do Ouro

(54) 3352 1500

DIPOA/DDA/SEAPA


Compartilhe este post.
Bookmark e Compartilhe

Nenhum comentário Quero comentar!

No comments yet.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Autor desta matéria

Everaldo Camargo

Diretor Geral, mora em Bom Jesus-RS


Posts Facebook E-mail

Dados desta matéria



Anuncie

Quer ver sua empresa no Portal Mister Kanú?

Acesse Quem Somos > e solicite maiores informações.

Colabore

Quer ter seu texto publicado no site?

Acesse a página Faça Contato > e veja como.